• General Search
  • Companies
  • Blogs
processing

Exposição de pintura “Natureza Feminina”

Exposição de pintura “Natureza Feminina”
Exposição de pintura “Natureza Feminina”
A Câmara Municipal de Coimbra tem patente ao público, na Galeria Almedina, a exposição de pintura intitulada “Natureza Feminina”, de autoria de Renata Carneiro.

Descrição

A Câmara Municipal de Coimbra tem patente ao público, na Galeria Almedina (junto ao Arco de Almedina), a exposição de pintura intitulada “Natureza Feminina”, de autoria de Renata Carneiro.
Renata Carneiro nasceu no Porto, onde vive e trabalha. Iniciou os seus estudos pelo mundo das artes, na Escola Secundária Soares dos Reis, onde concluiu o curso geral em artes. Fez o Bacharelato em Pintura, na Escola Superior Artística do Porto (ESAP), e a Licenciatura em Artes Plásticas, na mesma instituição. Em Madrid, concluiu o Mestrado em Teoria e Prática das Artes Contemporâneas, na Faculdade de Belas Artes – Universidade Complutense.
Expõe desde 2000. De entre as exposições mais recentes destacam-se as realizadas no Museu de Ovar, em 2017, com “Natureza Feminina”; em Lisboa e no Porto, com a exposição “Miradas… de mulheres”, respetivamente, em 2016 e 2015. Está representada em diversas coleções públicas e privadas em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Grécia e Japão.
Sobre a exposição, a artista plástica revela-nos: “A minha obra é uma reflexão sobre a mulher como ser independente, construtivo, sofredor, que supera obstáculos, que se impõe, que é criativo, trabalhador e que faz nascer. Mulheres modernas, de vestidos revoltos e compridos que remetem para a Belle Époque, representadas de perfil, como as pinturas egípcias dos túmulos, sem personificar o rosto, para que cada ser feminino, ao observar, se sinta refletida na imagem e se identifique com ela.
Eu, como mulher, sinto, penso e pinto.”

Mikel Alvira, escritor, descreve assim a obra de Renata Carneiro: “Renata respira, cria, recria. Renata Carneiro clama com firmeza sem rodeios, sem dúvidas na plenitude dos seus traços, risca o infinito da tela com pedaços de cor e rimas harmonizadas. Lembra os raios que roubam a intimidade quando entram pela janela; captura o espetador para inquietar-lhe o alento e conceder-lhe os ensaios de uma artista integral.
Cinza, vermelho, preto. Azul fraturado. Branco livre.
Renata agita cada obra, sua composição é um retiro de paz como um rio de águas tranquilas onde a sua violência é oprimida.
Renata Carneiro arremete contra a reprodução de normas correntes reinventando a sua própria pintura em cada obra que partilha.
Estabelece vínculo com a perspetiva até ao ponto de perder a razão, convicta de que na sua perceção reside o ritmo cardíaco que a leva a pintar.”

A exposição estará patente até ao dia 19 de novembro de 2017, de terça a sexta-feira, entre as 10h00 e as 18h00; aos sábados e domingos, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. Encerra à segunda-feira e aos feriados. A entrada é livre.